TRICAMPEÃO DA STANLEY CUP! LET'S GO PENS!

terça-feira, 9 de julho de 2013

Especial Pittsburgh #2 - A cidade do aço


Pittsburgh é uma cidade localizada no estado americano da Pensilvânia que foi fundada oficialmente no dia 14 de setembro de 1758. Seu grande crescimento deu-se principalmente no período de industrialização americana... A cidade recebeu o apelido de "cidade do aço" pois era o lar da maioria de siderúrgicas dos EUA.

São aproximadamente 305.704 habitantes morando na cidade, o que a caracteriza como segunda mais populosa do estado atrás apenas da capital Filadélfia. Mas, no início dos anos 60, Pittsburgh era o polo industrial mais importante do leste americano registrando uma população operária de aproximadamente 670 mil habitantes.

 HISTÓRIA

A consolidação de Pittsburgh no cenário americano deu-se a partir do início do século XIX, com a crescente corrida industrial entre países europeus e o Estados Unidos. A até então o local era uma vila e tinha todos os pré-requisitos para tornar-se grande devido a sua localização e matéria prima abundante para as fábricas.
O processo de industrialização não demorou à acontecer e rapidamente Pittsburgh passou a ser considerada uma cidade cujo crescimento superava as expectativas iniciais.

A crescente industrial fez com que diversos empresários passassem a investir em Pittsburgh e uma série de  inovações tecnológicas passaram a ter inicio nas fábricas locais. Ferrovias e sistemas de navegação começaram a integrar o novo polo industrial americano as demais cidades já consolidadas no país.

Durante a guerra de secessão a cidade viveu seus melhores momentos na era industrial. O exército americano necessitava de reabastecimento bélico e Pittsburgh foi uma das cidades que mais intensamente contribuiu para o armamento e posterior vitória dos soldados da união que defendiam os princípios do até então presidente Lincoln.
Além da intensificação da produção nas fábricas, a guerra trouxe outros benefícios como ferrovias de alto nível e mão-de-obra operária.

Já consolidada como polo siderúrgico, Pittsburgh passou a administrar seu sucesso e continuou crescendo a ponto de se tornar a segunda maior cidade do estado. Posto que detém até os dias de hoje!
A produção de aço e vidro do país devia-se principalmente as indústrias locais e cada vez mais a cidade passava a se tornar essencial para manter os Estados Unidos na disputa industrial contra potências europeias.

A Primeira Guerra mundial contribuiu ainda mais para o crescimento e a cidade passou a crescer fora de controle. Sem nenhum planejamento urbano previsto e muitos operários necessitando de moradias, surgiram diversas vizinhanças de médio porte que, embora modernizadas, existem até os dias de hoje.
Os resultados desse processo de expansão desonerada ainda não era algo preocupante. Os dias de ouro de Pittsburgh faziam tudo parecer perfeitamente aceitável...

A crise econômica americana iniciada historicamente em 1929 (marcada pela quebra da bolsa de Nova Iorque) foi a única maneira de interromper tamanho crescimento industrial. A cidade que até então era o polo siderúrgico do país perdeu sua credibilidade e diversos trabalhadores passaram a tornar-se desempregados por falência de uma série de fábricas.
Aliado a crise, os altos níveis de poluição que renderam o apelido de cidade enfumaçada para Pittsburgh também contribuiriam para a decadência do local. A qualidade do ar era considerada a pior de toda a América!

Em meio a uma série de problemas o restabelecimento se deu a partir da Segunda Guerra Mundial quando as cidades industriais passaram a ter novamente importância na medida em que o exército americano se envolvia nos combates.
Apesar de uma aparente ressurgência, o curto período não foi o suficiente para recolocar a cidade entre as mais importantes dos Estados Unidos e ao fim do período de conflitos Pittsburgh voltou a apresentar os antigos problemas ligados a poluição e urbanização desordenada.

A credibilidade da cidade estava em baixa. Os altos níveis de poluição causavam problemas respiratórios graves e a qualidade de vida ficava cada vez menor em decorrência destas doenças facilmente adquiridas ao viver na cidade.
A urbanização desordenada também fez com que muitas pessoas deixassem Pittsburgh e se mudassem para outras regiões. Na cidade faltavam acomodações para a grande população e com isso o preço dos imóveis cresceu absurdamente. Quem não tinha dinheiro teve que se mudar para algum local economicamente viável e com isso diversos operários migraram para outros estados.

Em meio a todos esses problemas, a indústria também parou de gerar grandes frutos uma vez que o aço passou a ser substituído e as grandes fábricas de vidro mudaram-se para outros locais cuja mão-de-obra era mais facilmente obtida.
Os dias de ouro haviam chegado ao fim e as expectativas sobre o decorrer histórico da cidade eram as piores possíveis. Chegaram a surgir rumores de que Pittsburgh voltaria aos poucos a se tornar a vila que era antigamente...

Nada disso aconteceu e por sorte a cidade recuperou-se da decadência e caminhou em passos largos para firmar-se novamente como uma cidade importante!
O primeiro passo foi superar os antigos problemas oriundos do processo falho de urbanização e dos altos níveis de poluição. Diversas leis foram criadas visando diminuir o nível de toxinas no ar, retirar as indústrias remanescentes do centro da cidade e despoluir os principais rios que banhavam Pittsburgh.
Esse conjunto de mudanças recebeu o nome de 1ª Renascença, ou Renascença 1.

Os problemas foram rapidamente resolvidos e com as melhorias urbanas a cidade voltou a chamar a atenção do mercado americano. Centros de alta tecnologia (principalmente robótica) e laboratórios de avanços medicinais tomaram o lugar das siderúrgicas e oficializaram o fim da "era do aço".
Pittsburgh já não era mais uma cidade poluída, mas ainda restavam alguns empecilhos que precisavam de resolução.

Para dar fim de vez aos problemas, a 2ª Renascença (ou Renascença 2) proporcionou aos moradores um projeto ousado, mas que deu resultados e acabou melhorando ainda mais a qualidade de vida da cidade!
O trânsito foi o alvo das mudanças e uma série de pontes e túneis foram construídos para melhorar a integração entre as zonas da cidade e aumentar a possibilidade de caminhos. Além disso, o transporte público recebeu diversas melhorias e se tornou um dos mais modernos dos EUA!

Ao fim das duas Renascenças, Pittsburgh estava com uma cara nova. A cidade obteve diversos novos prismas de vista... As melhorias urbanas, as leis anti-poluição, o sistema público de transportes e até mesmo os times esportivos que faziam muito sucesso foram responsáveis pela reinserção da cidade entre as maiores do país!

Desde então, a cidade tem traçado seu caminho e aos poucos cresce no ranking de melhores locais para se morar. Atualmente muitos especialistas afirmam que Pittsburgh é a 4ª melhor cidade americana para viver (atrás de Chicago, San Francisco e Boston). Os critérios levados em conta são o índice de criminalidade, a poluição do local, o planejamento urbano e as opções sociais dos moradores!

Quer saber o paralelo esportivo da história de Pittsburgh? Clique aqui!

PITTSBURGH NA ATUALIDADE

Atualmente a cidade-do-aço não é mais um polo industrial americano. As fábricas de multinacionais foram em sua grande maioria deslocadas no fim da década de 60, e muitas delas migraram para a região central dos EUA ou para outros países próximos.
Mas, engana-se quem pensa que a função urbana da cidade não foi substituída! Pittsburgh tornou-se um importante centro em robótica e medicina. A cidade é famosa por pesquisas revolucionárias na área medicinal, principalmente envolvendo pediatria e hepatologia.

Atualmente são registrados 305.704 moradores na cidade, número alto se tratando de uma cidade de médio porte que não é capital de seu estado.
Destes 305.704, estimasse que aproximadamente 86.000 acompanham regularmente alguma das franquias esportivas da cidade, sendo que muitos deles tem pacotes de temporada.

Como centro educacional, Pittsburgh abriga duas das maiores universidades americanas, a Universidade de Pittsburgh (Pitt) e a Universidade Estadual da Pensilvânia (Penn State). Ambas são muito bem conceituadas em diversas áreas do ensino superior.
Uma das equipes universitárias de maior visibilidade é da Universidade de Pittsburgh! O Panthers é uma agremiação esportiva que disputa uma série de modalidades da NCAA e tem destaque no beisebol, futebol americano e basquete.

Cultura e lazer também são outras qualidades que não falta a cidade! Pittsburgh tem diversos museus e opções de lazer, tais quais já foram detalhadas na primeira postagem desse especial (acesso clicando aqui).

A cidade do aço foi considerada uma das melhores para se morar no mundo! A qualidade vida é excelente, os únicos problemas são relacionados ao clima temperado que sofre constantes mudanças durante as estações do ano (algo típico do norte americano).

Está postagem faz parte da série Especial Pittsburgh. Mais informações em: http://pittsburghpenguinsbrasil.blogspot.com.br/2013/06/especial-pittsburgh.html

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

Anônimo disse...

Show! Parabéns P.A!! Ótima postagem!

P.A Coimbra disse...

Anônimo,

Obrigado!! Pretendo continuar fazendo boas postagens sobre essa série!

Ramon disse...

Não sei se vocês repararam, mas ultimamente ta endo bastante filmes sendo filmados em Pittsburgh. Além do Batman, o Cavaleiro das Trevas Ressurge (com direito a demolição do Heinz Field), Sem Saída (com o lobinho da bichice do Crepusculo, mas o moleque até não compromete, e a eterna Tenente Ripley, Sigourney Weaver)e Jack Reacher (com Tom Cruise), foram filmados la

Sem contar o eterno Morte Súbita hehehe

P.A Coimbra disse...

Ramon,

O Morte Súbita foi um dos melhores filmes do Van Damme, heheheh! E não tinha reparado nisso, mas agora que você citou parece fazer sentido!

Postar um comentário