TRICAMPEÃO DA STANLEY CUP! LET'S GO PENS!

terça-feira, 12 de março de 2013

Pós Jogo - Penguins 3 @ 2 Bruins



55 minutos de apreensão e 5 minutos de perfeição. Essa foi a partida contra o Bruins que marcou nossa sexta vitória seguida... Não é momento de cornetar a equipe, após uma vitória de virada como essa o que devemos fazer é comemorar.
Mas, também não podemos deixar de parabenizar o jogo perfeito que o Bruins fez até os 15 minutos do terceiro período. A partir dai, o Penguins mostrou sua força e fez com que o jogo do time de Boston fosse pelo ralo.

Mesmo com a vitória ficou clara a falta que Malkin faz na segunda linha, principalmente em jogos contra times de qualidade como é o caso do Bruins. Espero realmente que sua volta seja logo e que as 2 semanas que ele ficará fora passem muito rápido.

A vitória nos leva aos 38 pontos (mesmo número de pontos do Canadiens), portanto estamos empatados na liderança da conferência. Além disso, disparamos na liderança de nossa divisão abrindo 9 pontos de vantagem com relação ao Devils que é o segundo colocado.

O jogo de hoje mostrou novamente as características de um time campeão, de um time vencedor que tem tudo para chegar aos playoffs jogando um dos melhores hóqueis da liga. Vencemos um adversário muito difícil, que vai brigar até o fim pela liderança da conferência e com certeza estará nos playoffs. Mas, antes de pensar no que acontecerá, vamos comentar o que já aconteceu:

O primeiro período foi muito ruim para quem estava com saudades de ver os Pens na ESPN. O desempenho do time foi ruim em todos os sentidos, foram poucas chances, poucos shots, poucos faceoffs vencidos...
Como já tinham avisado os comentaristas da EPSN (e de todos os outros canais, brasileiros ou não que acompanham a NHL), Chara estava sendo a sombra de Crosby que pouco conseguia jogar. Nos poucos momentos onde Sid esteve no gelo sem o defensor "gigante" dos Bruins as chances fluíram melhor, mas nada de gols.
Com o desempenho muito abaixo da média das últimas partidas, restou ao Bruins abrir vantagem com certa facilidade, Chara e Seguin anotaram 1 gol cada um e colocaram o time de Boston com 2 a 0 sobre o Penguins.

O que esperávamos do segundo período? Que os Pens voltassem para o gelo totalmente diferente da maneira que entraram.
Bylsma até tentou pensar em uma maneira de cortar a intensa marcação de Chara sobre Crosby (chegamos a ter uma linha com Glass - Crosby - Kennedy no gelo!), mas parecia que nosso capitão não teria sossego até o fim dos 60 minutos.
De bom mesmo no período foi apenas o fato de que não tomamos gols, mas também não marcamos nenhum (mesmo tendo realizado vários shots ao gol). E em 20 minutos que chegaram até a dar sono o placar permaneceu igual.

Terceiro período? Matar ou morrer. Tudo poderia acontecer, desde um gol dos Pens para voltarmos de vez ao jogo ou um dos Bruins para praticamente decidir a partida...
Até os 15 minutos o que vimos foi o contrário disso. O Penguins tentava mas a forte marcação do time de Boston impedia que a criação de jogadas gerasse em gols, e quando a chance era clara, a sorte jogava a favor do adversário. Neal acertou a trave, Dupuis errou o puck, Kunitz quase fez mas parou no goalie do Bruins.
O tempo passava e o placar permanecia o mesmo...
Faltava pouco mais de 5 minutos e a vitória parecia ser do Bruins sem nenhuma sombra de dúvidas, mas hóquei é coisa de momento, e o jogo muda muito facilmente em poucos minutos.
Kunitz fez o primeiro que mais tinha cara de gol de honra, Sutter empatou a partida e fez a Consol Energy Center inteira voltar a acreditar na vitória, Sutter fez mais um e virou o jogo pelos Pens fazendo com que toda a torcida explodisse no grito de gol. Foram 5 minutos, 3 gols e 2 pontos na tabela... O Penguins virava o jogo e estava com 3 a 2, faltando 2 minutos para o fim da partida.
A partir dai foi aguentar a pressão e fazer com que o desespero dos Bruins aumentasse a velocidade dos ponteiros do relógio (que demoraram muito para andar por sinal), e por fim, em jogo de 2 times grandes, o maior saiu vitorioso.

OBS1: PP funcionou muito mal, tendo mesmo com vantagem númerica efetuado poucos tiros a gol... Tudo bem, sabemos que o PK do Bruins é o melhor da liga, mas mesmo assim não tira o demérito do ataque dos Pens.
OBS2: Malkin fez muita falta para aliviar um pouco a primeira linha e retirar um pouco da marcação de Crosby. (Muita falta mesmo!)
OBS3: Kunitz virou artilheiro dos Pens com o gol marcado.
OBS4: Virada fantástica e merecida, tentamos de tudo e o puck não entrava a partir do segundo período! Quando resolveu entrar, foi aberta a porteira!

TROFÉU DO JOGO: Sutter. O troféu não tem como ser dado a outro, foram 2 gols que trouxeram a vitória. A partida em si não foi boa, mas mudou toda sua trajetória de 55 minutos em 5. Decidiu a partida e ponto final.
FOGUEIRA DO JOGO: Kennedy. Não jogou nem um pouco bem e bobeou deixando Seguin sozinho no momento do segundo gol do Bruins.


Comentários
5 Comentários

5 comentários:

Anônimo disse...

sAI DAI CORNETEIRO FALOU MAL DO SUTTER NA ANALISE TOMA AI CALOU SUA BOCA.

P.A Coimbra disse...

Anônimo,

Continuo achando o Sutter um jogador mediano, mas nesse jogo não posso deixar de sita-lo como decisivo... Isso não significa que eu o considere um jogador decisivo, apenas que nessa partida ele se destacou.

Abraços.

Pens Brasil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

"SUTTER (16): Jogador mediano que está bem colocado na terceira linha. NÃO TEM PODER DECISIVO EM JOGOS IMPORTANTES, mas também não chega a ser dispensável...
Nota: 7."

P.A Coimbra disse...

Anonimo,

Ele não tem poder decisivo, mas isso nao impede te der decidido uma partida.
Se existem 7 jogos importantes e o jogador faz 3 gols em um, ele decidiu o jogo certo?
Mas se nesses mesmos 7 jogos outro jogador fez 2 gols em 5 das partidas, esse jogador decidiu certo?

Há diferenças entre decidir e ser decisivo, Sutter decidiu mas não é decisivo!

Postar um comentário